A MÍDIA e o SERVIÇO PODRE!

Eu nem tava sabendo desse movimento “contra o aborto” q rolou em Sampa. Quando li a mensagem de um grande amigo, fiquei meio sem saber o que dizer… li a mensagem por volta das 20h30 e fui respondendo só agora, 1h30 da manhã do domingão…

Passeata contra a legalização do Aborto - SP - fonte UOL Notícias

 Bueno… continuei remoendo uma revolta contra os redatores dessa lei e CLICK! Tive um insight!

VOU VER QUE PROJETO DE LEI É ESSE.

A primeira frase que escrevi, no momento da raiva foi:

Sinceramente: esse projeto de lei é uma GRANDESSÍSSIMA MERDA ESCROTA.

Só que, quando fui buscar o projeto de lei – site http://www.camara.gov.br –  li o projeto, vi que estava redondamente errada! (O link do projeto de lei é esse, pra quem quiser ler)

 Na verdade, a frase que faz mais sentido é:

 Sinceramente: ESSA MÍDIA DOS INFERNOS é uma GRANDESSÍSSIMA MERDA ESCROTA.

 Vamos analisar:

Primeiramente, uma fala brevíssima sobre o Aborto no mundo:  nos países em que o aborto é legalizado, a mulher pode fazer a interrupção da gravidez até 12 semanas sem dar qualquer satisfação. A partir desse prazo, ela deverá passar por uma comissão de médicos/psicólogos/assistente sociais, a fim de justificar o motivo disso – por exemplo, vamos supor que ela descobriu depois das 12 semanas algum problema grave com o feto, que torna a vida extra-uterina indigna ou inviável.

E esse prazo de 12 semanas tem uma razão científica de ser: é quando o sistema nervoso se completa, finalizando as sinapses nervosas que dão condições ao feto de sentir dor/prazer.

A questão principal que não se discute é:

As mulheres NÃO querem ser criminalizadas por escolherem fazer um aborto, as mulheres querem ter acesso ao ABORTO SEGURO, assegurado pelo sistema de saúde.

A lógica é simples: se as mulheres não forem criminalizadas por fazerem aborto e se puderem fazê-lo sem traumas e riscos à sua vida, elas não vão esperar até a 24 semana de gestação para fazer isso!

 12 semanas é tempo mais que suficiente para a mulher descobrir a gravidez e decidir se quer interromper ou não.

OK. E você deve me perguntar, e o que a coitada da Mídia (vulgo MÉRDIA) tem a ver com isso?

Tem TUDO A VER, na medida em que coloca uma manchete tendenciosa, sensacionalista, que não explica bosta nenhuma e apenas reforça clichês que devem PRECISAM ser combatidos.

 Até vou colar o texto da manchetezinha imbecil pra vc ver:

 São Paulo – Cerca de 3 mil pessoas realizam um protesto desde às 9h30 deste sábado, no centro de São Paulo, contra a legalização do aborto no Brasil. Atualmente, tramita na Câmara dos Deputados um projeto de lei que autoriza a interrupção da gravidez em até a 24ª semana de gestação.

 De acordo com a Polícia Militar, integrantes da Campanha Nacional pela Vida iniciaram a manifestação no Viaduto Jacareí. Por volta do meio-dia, os manifestantes estavam na Praça da Sé, onde haverá um show. (meus grifos).

Essa manchete é totalmente RIDÍCULA, PALHAÇA e só foi feito com um único propósito: invalidar a discussão acerca da descriminalização e legalização do aborto, que é o leitmotiv do projeto de lei. Em nenhum momento o projeto fala do aborto quando das 24 semanas sem qualquer critério. Aliás, critérios é que não faltam para que a interrupção seja o mais coerente inclusive com a realidade dos países em que o aborto é legalizado

BUT, com esse tipo de manchete IMBECIL, o que fica na memória coletiva da patuléia, da massa?

AS VAGABUNDAS DAS ABORTISTAS QUEREM MESMO MATAR CRIANCINHAS INDEFESAS! 

Tanto é verdade que meu querido amigo se deixou levar pelo calor da emoção e lascou um “PORRA, TIRAR O FILHOTE NA 24ª SEMANA JÁ É ASSASSINATO, CARALHO!!!”

Realmente, dentro da informação limitada apresentada pela manchete, é só isso que podemos concluir, certo?

BUT, em tendo feito leitura do projeto lei, podemos concluir diferente:

  • O projeto de lei tratou com a maior seriedade e respeito um problema das mulheres, em especial, das mulheres negras e pobres, buscando soluções mais éticas e responsáveis possível;
  • a Mídia trata da forma mais leviana e irresponsável possível o assunto do aborto, pq tem fazer parte da manutenção dos valores da sociedade patriarcal, que priva as mulheres de exercerem soberania sobre seus corpos.

E essa manchete IMBECIL redigida por uns ESCROTOSSAUROS presta o pior serviço possível pela luta das mulheres ao direito de escolha livre com segurança. E o motivo é que simples: HOJE, no Brasil, o aborto é CRIME exceto em duas situações – estupro e risco de vida da mãe.

Ou seja, o objeto central dessa manchete é totalmente equívocado e, por óbvio, só vai despertar a indignação da “sociedade”.

Vou ainda fazer um adendo: eu não sei se podemos esperar algo diferente de um parlamento, no sentido de aprovar um projeto de lei tal qual foi redigido, uma vez que a representatividade da mulher é de menos de 10% no senado e no congresso, ao passo que, na população brasileira é composta por 51% de mulheres! Fica difícil despertar a sensibilidade a respeito de um problema quando não se vive tal problema.

Em resumo: não sei se temos como esperar uma representatividade coerente das necessidades das mulheres quando são os HOMENS que, na maioria das vezes, criam e votam as leis para elas.

FODA!

É interessante lembrar que, mesmo os que são favoráveis ao aborto em caso de estupro ou risco de vida da mãe, tem um ponto comum a quem é pró-escolha. E não estamos falando de fetos inviáveis para vida extra-uterina – que seria um dos casos que autorizam a interrupção em qualquer tempo da gestação.

Ao contrário, temos fetos sem má formação, perfeitos, mas que, ou são resultado de estupro ou cuja manutenção da gravidez implica em risco de vida à gestante. Interessante, não? Segundo Dworkin, esse é o ponto comum entre os pro-choice e pro-life, na medida em que existe a opção pela integridade da vida da mulher, uma vez que que se faz uma mensuração de todo investimento e expectativa feito nas partes envolvidas, pois só assim para decidir pela vida da mulher em detrimento do feto (ahhh essa parte é bem legal, mas eu queria poder conversar com vc pessoalmente sobre essa teoria de Dworkin – só que essa parte seria mais legal desenhar para bem explicar RÁ!!!)

 

link para a imagem aqui

2 pensamentos sobre “A MÍDIA e o SERVIÇO PODRE!

  1. o pretexto é a defesa da vida, mas se esquece que vidas são perdidas pela prática do aborto clandestino. a resposta do anti-abortista pode ser algo do tipo “quem mandou abortar? taí o resultado”, mas as pessoas esquecem de se colocar no lugar das outras, e permitir que elas façam as escolhas, difíceis, que estas precisam fazer.

  2. eh, eu realmente achei muito estranha essa historia de tirar filho apos 24 semanas. como eh que divulgam uma informacao falsa e sacana assim??

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: