Uma Revolta antiga…

 
170603poroyal
(não lembro mais onde peguei essa foto, shame on me)

Tiempos mudernos…  (ARGH! o título desse vídeo é igual ao finado post que segue… não deve ser o que estou pensando, afinal, eu escrevi esse post em 22/07/2003… e tem esse post que não me deixa mentir como a lata mudou em 2003!!!)

Enfim… vamos lá… direto do túnel do tempo…

Desde que entendo um pouco desse mundo, a tal lata é do mesmo jeito.
Alta, esbelta, logomarca vermelhinha, antiga demais, um tanto kitch. Nada extraordinário, levando-se em consideração que a tal empresa produza o produto há 80 anos.
De que produto estarei falando?

 Fermento. Sim, aquele pozinho que tua mãe coloca no bolo, que tu colocavas na água, só para ver fazer bolhas.

Mas que papinho besta… Falar de lata de fermento…
Mas o real bacana dessa história é justamente a lata do pózinho, e não o fermento em si ou mesmo sua utilização. Essa parte eu deixo paras outros tempos, para os momentos em que os desejos por comidinhas fale mais alto… agora vamos falar do aspecto “secreto” do fermento Real! =)

Durante 79 longos anos, as mulheres, mocinhas prendadas e casadoiras, que dizer então das vovós cozinheiras de mão cheia, todas essas mulheres pagaram inúmeros pecados quando estavam frente a frente com a famigerada latinha de fermento.

Por que ? Simples. A maldita colher de sobremesa, que tem o mesmo tamanho daquela que se usa para tomar sopa. Essa mesma ! Essa colher não entrava na lata para pegar o pó branquinho.

Nunca coube!!!

A lata tinha 5 dedos e meio de altura por 3 dedos de diâmetro e com essa bitola a colher não conseguia invadir a intimidade da lata e pegar o fermento com segurança. Coitadas das nossas avós, mães, etc, que tinham que tirar com o fermento com a ponta da faca, ou então rezar para as crianças não terem dado sumiço naquela colherinha de café que, como o nome diz, era pequena o bastante para penetrar a lata e fazer o trabalho designado com eficiência.

Por que essas mulheres nunca reclamaram?

 Ah, com certeza elas reclamaram, escreveram cartinhas sem fim para os Serviço de Atendimento ao Consumidor, pedindo uma lata mais prática.

Mas sabe quem lia os pedidos de nossas tias, madrinhas, primas, avós ?

Certamente era um cueca, barbado que passava longe da cozinha e os mistérios inerentes… e desinteressado, pensava com os botões “Essas mulheres não tem mais o que fazer ? Reclamar de lata de fermento ? A lata é ótima ! Vão lavar roupa, cuidar da casa que é para isso que servem”…

Mas o mundo gira, muda… E como muda !

Nossas avós já não curtem tanto o crochê nem orelhas de gato, nossas primas e tias já nem são tão casadoiras assim… Querem viajar muito, trabalhar mais ainda, acumular carreiras e salários… Para que ser prendada se o hipermercado oferece todos os quitutes já prontos, congelados ?

E as latas foram esquecidas por elas…
Mas foram descobertas pelos cuecas…

Sim, nessa mudança de papéis., elas invadiram os escritórios, presidências e gerências de grandes empresas e eles, os homens, deslocados, indefesos e desamparados, revoltados com essas mudanças, foram se refugiar nas cozinhas…

Mas, eles não aceitaram ser chamados de meros cozinheiros, quituteiros!
São chefs, gourmet, exigiram reconhecimento, palco e holofote para uma atividade tão feminina (e porque não dizer feminista?) mas que AGORA era exercida por eles. Resolveram fazer mágica com pepinos, cenouras, nabos… e ninguém fez piadinha!
Arrancaram suspiros de platéias embasbacadas!

E um dia, um dos meninos na cozinha, decerto fazendo um sufflê de salmão com creme de ervas e shyitake para alguns amigos e amigas seletos, precisou usar o tal fermento e …

Rá !!!

Descobre, pasmo, que a porcaria da table-spoon-colher-de-sopa não queria pegar o fermento! Nào, isso era um complô culinário, aspirando pelo fracasso do modesto prato bem como incentivando as piadinhas dos convivas.

E no mesmo dia, acessa o e-mail – banda larga diga-se de passagem – e manda uma mensagem exigindo a alteração da lata do produto. Que absurdo, a empresa nunca ter pensado nisso antes!

É… Foi preciso que ELE, o grande chef, pagasse um mico básico diante dos amiguinhos para que a tal latinha mudasse.

A lata agora conta com 4 dedos de altura e 3 dedos e meio de diâmetro.

Aqui está a velha e a nova lata (ano 2003)

hi27

(foto desse sáite aqui)

Diferenças no tamanho para vender a mesma quantidade de pó.

Obviamente !

Sorrateiramente, foi lançada aos quatro ventos a propaganda da nova embalagem de fermento do Tio Royal… sutilmente dizendo que AGORA a colher entra e sai da lata como se deslizasse.

Só precisaram de 79 anos para mudar isso.

Quanto às dimensões da lata, podem conferir. Eu mesma medi e é isso mesmo.

Mas quem se importa com latas de fermento ?

Lata de Fermento em 2008 e os tempus mudernos!

Royal

foto desse sáite aqui

2 pensamentos sobre “Uma Revolta antiga…

  1. Muito interessante, Jux. Nunca soube disso da lata de fermento, mas já havia notado que uma colher não cabe lá. Pensei que fosse incompetência MINHA como cozinheira… Vou escrever um post sobre isso de chefs e estilistas vs. cozinheiras e costureiras, e daí linko o seu texto. Abração, e pode me chamar de guria!

  2. vc viu que a nova embalagem tá slim, fit, in shape…. tooooda acinturadinha. talvez seja pras mulheres que invadiram os escritórios, presidências e gerências das grandes empresas se animarem e voltarem pra cozinha. quem sabe elas consigam uma cinturinha tão marcada quanto a da lata!!!😛

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: